Crush em Hi-Fi

Música, trilha sonora, CDs, discos, DVDs, mp3, wmas, flac, clipes, ruídos, barulho, sonzera ou como quer que você queira chamar.

Arquivo para a tag “Funk”

O “Robot Rock” do Daft Punk veio diretamente do funk da Philadelphia no fim dos anos 70

Uma das grandes músicas do disco “Human After All” do Daft Punk, lançado em 2005, “Robot Rock” tem um riff que gruda na cabeça mais rápido do que você pode dizer “cucamonga”. É ouvir uma vez e sair cantarolando o riff feito pela dupla francesa o resto do dia.

Um vocoder com os dizeres “robot rock” permeiam a música, enquanto Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo tocam como um power duo no clipe:

A música é praticamente toda derivada de “Release The Beast”, da banda Breakwater. A banda de funk e soul veio da Philadelphia e foi formada em 1971, formada por Gene Robinson, James Gee Jones, Linc ‘Love’ Gilmore, Steve Green, Vince Garnell, Greg Scott, John ‘Dutch’ Braddock, e Kae Williams, Jr. “Release The Beast” está no segundo disco do grupo, “Splashdown”, de 1980. Afaste os móveis e dance aí!

Anúncios

Os sons mais fuderengos das trilhas de Hermes e Renato

Hermes-e-renato

Se você é fã do grupo Hermes e Renato, sabe que eles sempre manjaram muito bem como fazer uma sketch ficar ainda melhor utilizando trilhas sonoras incríveis e pepitas de ouro garimpadas com muito afinco. Desde o começo do grupo, Fausto Fanti já gravava seus vídeos caseiros com os amigos usando músicas variadas tocadas em um radinho para serem a trilha sonora.

Do brega ao funk melody, do samba rock ao eletropop oitentista, as trilhas de Hermes e Renato sempre tiveram grandes momentos. Vamos relembrar agora alguns dos sons que marcaram as sketches da dupla de arrombados. Ah, e se você tá esperando algo do Massacration ou Coração Melão na lista, você paga comédia, seu proxeneta!


Erlon Chaves e sua Banda Veneno – Eu Também Quero Mocotó

Nas cenas da dupla Hermes e Renato, a trilha invariavelmente era brasileira, puxada para o samba rock, funk ou o fino do brega. Neste caso, “Eu Também Quero Mocotó”, música de Jorge Ben que foi apresentada pela banda no V FIC, onde ficou em sexto lugar e foi apresentada por quarenta pessoas (vinte homens e vinte mulheres), além da Banda Veneno.


Jean Beauvoir – Feel The Heat

A trilha de “Stallone Cobra” (1986) serviu como música-tema para Ralph Romero, personagem de Fausto Fanti na primeira novela do grupo, “O Proxeneta”. Inesquecível ver Ralph mostrando toda sua malemolência em casa, no escritório e na academia ao som de “Feel the Heat”.


Undercover – Baker Street

Esta ficou clássica na sketch “O Padre Gato”, com Fausto Fanti interpretando o Justin Timberlake de batinas fazendo o clássico solo de saxofone da cover de Gerry Rafferty feita pelo Undercover nos anos 90. A música também serviu como tema para o mágico picareta Rojangel, personagem de Fanti em vídeos exclusivos para o Youtube.


Linear – Sending All My Love

Esta foi a base para “Janie’s On My Mind”, música que estoura no mundo inteiro na voz de Joselito na sketch em que o personagem fica famoso depois de cantar durante uma balada. Também aparece em outra sketch em que Joselito é vendedor de cachorro-quente. “Maionese, ketchup, mostarda, chumbinho, pedra…”


Kishore Kumar – Samne Yeh Kaun Aaya

Nada mais do que a trilha para as indescritíveis danças do bailarino Juan Soarez, personagem clássico dos primeiros anos de Hermes e Renato. Inesquecível a cena de Juan Soarez dançando em volta de um prato de macarronada.


Eumir Deodato – Super Strut

A trilha das sketches de Hermes e Renato sempre remetia aos anos 70 e à pornochanchada brasileira, daí a enxurrada de palavrões, atuações canastronas e diálogos com gírias idosas. Esta música demonstra bem o clima das sketches da dupla de sevandijas.


Parliament – Give Up The Funk (Tear The Roof Off The Sucker)

“Se você sempre teve vontade de fazer isso, mas nunca teve coragem… vote em mim, ó… aqui!
Para presidente, vote Joselito! 12345678910 – PSN – Partido dos Sem Noção


Clube do Balanço – Muito Incrementado

Esta é um clássico do Hermes e Renato. Quem curtia os enredos simples e curtos da dupla junto com Jandira e a “bicha” Ney nos primeiros quadros do grupo deve lembrar do “muuuuuuito incrementado”.


Tony Damito – Gut Gut

“Gut Gut” aparece na sketch de pouco mais de um minuto de Hermes e Renato onde eles roubam em um jogo de baralho. A única fala do quadro é “filha da puta”. Assim, legal.


 

Ceasefire vs. Deadly Avenger – Evel Knievel

A música de abertura dos quadros e do programa Hermes e Renato continha sample de “Money Runner” de Quincy Jones e grudava na cabeça em instantes. A música foi (e ainda é) o tema clássico do quinteto.

*agradecimentos infinitos a Mel Toledo e o pessoal do grupo Hermes e Renato do Facebook, sem os quais este post não seria possível. :)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nelisa apresenta seu “quase-folk proibidão” em “Músicas de Amor & Putaria”

10921739_764438813638033_227295511_n

Nelisa é Ana Elisa Zanchetta, de 20 anos. Com seu violão a tiracolo e voz suave, canta músicas com os inacreditáveis títulos “Você é a Razão das Punhetas de Alguém”, “Pessoas que eu Chamaria para uma Suruba” e o direto ao ponto “Blues do Cu”. Com seu EP “Músicas de Amor & Putaria”, de 2014, Nelisa conseguiu uma boa repercussão de suas letras cheias de sacanagem e criatividade.

A “Clarice Falcão da putaria” já participou de eventos como o Espetacular Hora da Comédia no Frey Café e Youtube Space. Conheça um pouco mais dela e suas canções proibidas para menores:

Quando você começou a escrever músicas? O tema foi sempre o “amor e putaria”?

Não, antes eu fazia umas musiquinhas bem bobinhas mesmo de amor, eu nem imaginava que poderia começar a fazer músicas voltadas pro humor. Sempre gostei de “fazer humor”, mas nunca soube como. As “Músicas de Amor & Putaria” foram um bom jeito que eu achei de fazer as pessoas rirem.

Quem você citaria como inspiração para as suas músicas?

Antes de tudo o Gabe Cielici. Conheci o trabalho dele ano passado e achei a ideia das músicas pra ex-namoradas simplesmente genial. Ele é o mestre. Também não posso negar a semelhança das minhas músicas com a Clarice Falcão, até já me apelidaram de Clarice Falcão da putaria”, mas é mais em relação ao estilo musical mesmo. E em relação à putaria, Valesca Popozuda é a rainha e me inspiro muito não só no tema putaria dos proibidões do funk como também na libertação feminina. Eu sei que é meio porre falar disso, fico parecendo até uma intelectual, mas várias meninas escutam as minhas músicas e vêm me agradecer e parabenizar por ter coragem de falar desse tipo de coisa, porque no mundo que a gente ainda vive eu sou a menininha pequenininha e por isso não posso falar de caralhos e bucetas.

10912922_764438866971361_1963888509_n

Muita gente te enche o saco pelo teor das canções? Tem gente que vem dar em cima de você por causa das músicas sobre sexo, ou criticar o tema das canções?

Tem muito cara que dá em cima sim nos comentários no YouTube ou nos grupos que eu costumo compartilhar as músicas, mas eles são todos muito respeitosos e nunca passaram muito dos limites, o que pra mim foi uma surpresa, considerando o conteúdo das músicas. Sobre críticas, sim, tem alguns poucos que criticam, mas não dá pra fugir disso, vida que segue. Só me irritou uma vez um cara dizendo que os outros caras só gostavam das minhas músicas porque eu sou uma “menininha bonitinha” que fala de sexo e porque eles sentem que teriam chance comigo, ou sei lá. Mas falando com ele, entendi que ele se incomodava com o fato de eu ser mulher mesmo. Se fosse um cara cantando as mesmas músicas, talvez ele nem ligasse e isso é foda, porque parece que só porque eu sou mulher o meu trabalho não tem valor nenhum.

A recepção positiva surpreendeu ou você não liga para isso?

Olha, me surpreendeu bastante. Quando eu compartilhei “Você é a razão das punhetas de alguém” no grupo Lektronik (obrigada, Orkutão!) depois de três dias a música já tinha cerca de dez mil visualizações no SoundCloud. Eu não imaginava que a repercussão de uma coisa que eu fiz na brincadeira ia ser tão grande.

10934551_764438930304688_1357108619_n

Você pretende gravar com banda?

Eu pretendo sim, mas eu não manjo nada de arranjo e etc… Toco violão e ukulele muito meia-boca, mas seria bem bacana gravar com uma banda e gente que realmente entende de música.

O disco tem uma sonoridade meio folk.

A ideia não era ser folk não, é simplesmente como eu consigo fazer. As músicas são de uma simplicidade quase infantil (com exceção do conteúdo das letras, é claro) e fazer a melodia, pra mim, é o que dá mais trabalho, então eu deixo da maneira mais simples possível mesmo.

Qual o impacto do Youtube na repercussão de suas músicas?

Antes eu nem pensava em fazer nada pro YouTube, eu não tinha muita ambição mesmo, mas aí eu vi que o pessoal tava gostando bastante e um amigo falou da gente gravar e eu acabei gostando bastante da ideia.

Pra finalizar, recomende uma banda ou artista que só você conhece e acha que todo mundo deveria ouvir.

Eu gosto muito de uma banda que chama Saulo Duarte e a Unidade. É uma mistura de ritmos que vai do brega ao carimbó passando pelo reggae. Vale a pena procurar, são músicas bem animadas.

Ouça abaixo as canções de “Músicas de Amor & Putaria”, de Nelisa:

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: