Crush em Hi-Fi

Música, trilha sonora, CDs, discos, DVDs, mp3, wmas, flac, clipes, ruídos, barulho, sonzera ou como quer que você queira chamar.

Arquivo para a categoria “jazz”

Os maravilhosos samples obscuros que Moby usou em seu disco “Play”, de 1999

MobyPhase2-1

Em 1999, Moby lançou seu elogiado disco “Play”, o quinto de sua carreira. O álbum chamou a atenção por ter todas as canções licenciadas pelo artista para utilização em comerciais e trilhas sonoras. Ou seja: Moby dominou as paradas e aparecia inclusive nos intervalos comerciais.

Vale a pena garimpar atrás dos samples que Moby usou nas músicas. Muitos deles saem diretamente de gravações antigas e obscuras de soul, blues, gospel e jazz.

“Natural Blues”, lançado como single em 2000 acompanhado por um divertido clipe em animação, foi um dos maiores hits do disco.

Vera Hall gravou “Trouble So Hard” em 1959 no disco “Sounds of The South”. Nascida em 1902 no Alabama, Vera era uma cantora de Folk que cresceu em Livingston e ganhou exposição nos anos 30 com sua voz poderosa.

“Bodyrock”, hit que virou single em 1999 e apareceu até em trilha de Fifa Soccer, veio do finalzinho de “Love Rap”, de 1980, de Spoonie Gee and The Treacherous Three. Você ouve a letra aos 5:32 da música.

“Find My Baby”, último single do disco, foi lançado em fevereiro de 2001, com um clipe cheio de bebês superstars.

A voz do hit veio de “Boy Blue”, um blues incrível de Joe Lee’s Rock, lançado em 1959 pela Atlantic Records.

O mega-hit deprê “Why Does My Heart Feels So Bad” saiu em novembro de 1999 e fez sucesso com mais um clipe de animação que conquistou os espectadores da Mtv.

De onde veio a voz calejada e cheia de dor? The Banks Brothers and The Greater Harvest Back Home Choir, em “He’ll Roll Your Burdens Away”, lançada em 1963. Mesmo a voz “de mulher” que rola na música do Moby vem dessa música, em uma versão com o pitch alterado.

A colaboração com Gwen Stefani “South Side” saiu em 2000 e difere um pouco do restante do álbum, se aproximando mais de um single pop.

A bateria da música vem do The Counts. Você pode ouví-la na música “What’s Up Front That Counts”, de 1971 (aos 6:40):

O que andei ouvindo: 03/03 a 09/03

– Blood Red Shoes: Descobri o Blood Red Shoes de uma forma que recomendo a todos que usufruam: indo nos vídeos relacionados do Youtube. Se você assistiu um clipe de alguma banda bacana, muito provavelmente aparecerão algumas bandas relacionadas ali na direita. Fuçar vale a pena: a dupla britânica manda muito bem no som porrada que faz. Recomendo que ouçam o barulho de Laura-Mary CarterSteven Ansell!

– Buddy Rich Big Band: Culpa do filme “Whiplash”, eu assumo, mas eu já era viciado nos solos de bateria de deixar queixo caído de Buddy Rich faz tempo. Se você nunca viu, dá uma procurada no Youtube: Rich continuou segurando o ritmo de forma impossível nas baquetas até o fim da vida.

– Super Furry Animals: Fui lá no “Fuzzy Logic” pra dar  uma ouvida nas doideiras do grupo de Gruff Rhys, vindo diretamente do País de Gales. Aliás, acho que vou ouvir um pouco de Super Furry Animals agora, pra embalar essa segunda-feira cinzenta.

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: